23 de abr de 2009

Tua


"Eu sou tua quando vou, quando não estou, quando durmo.

Eu me deixo.
Te deixo o meu perfume doce, rastro a ser seguido.
O meu suor, a minha luz, os espaços não preenchidos, linhas não lidas, as muitas vidas que abrigo...
...Numa caixa de vidro...

Tua, até em meu sétimo sentido."

Por Érica. Sou fã!

Um comentário:

Milésimo disse...

Que escritos tão lindos no teu blog.
Tudo muito simples e pleno de sentimento.

Voltarei

Bj