7 de jun de 2010


"O barulho aqui fora me impede de ouvir o meu silêncio. Meu coração está assim. Farto de todas essas saudades, de todos esses amores fracassados, de todas essas tentativas, de tantas perdas. Ando cansada de certas coisas que antes pareciam ter graça e hoje não fazem sentido algum. Sinto tudo num só instante. Eu sou o pulsar do mundo ao mesmo tempo que o mundo me suga. Meu corpo abriga um cansaço que se expande de dentro pra fora. Dilacera minhas certezas. Embaraçam meus sonhos. Deixa tudo por um fio. E nesse fio eu caminho bamba. Quase caindo. Meu querer se embolou e sabe como eu fiquei? Perdida. Em mim e nessa coisa que eu chamo de meu mundo. Será que em tempos de tantas carências e necessidades, seria ousadia demais a minha denominar algo como "meu"? Eu não sei. A única certeza que tenho é que além de mim, só eu me resto. O que também não é absolutamente estável, porque eu também me traio. Eu também me engano. Às vezes de propósito. Outras vezes por puro descuido ou por realmente merecer. Você acredita nisso: que a gente tem o que merece?"

Tainá Faco

2 comentários:

jefhcardoso disse...

Acredito em causas e consequências, porém o que temos nem sempre é o que merecemos.
Boa semana.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Kelly Soares disse...

Oi Cá,

Gostei muito do seu post, e acho que a palavra certa nem é merecer... Acho que temos mesmo que passar por fases assim, pois pra entender a convivência primeiro é preciso entender a solidão.
Carências aparecem o tempo todo, mas de formas e intensidades diferentes né! Então aproveita esse momento pra saná-la com seus próprios recursos, pois tem tudo o que precisa dentro de si :)

Beijos
Kelly