9 de jun de 2010



"O seu corpo cola-se ao meu. A sua boca vem baixando devagar, vencendo barreiras, colando-se à minha, de leve, de tão leve que receio um movimento, um suspiro, um gesto, mesmo um pensamento."

C.F.A

Nenhum comentário: